quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Everaldo Lopes, Rubão e a enciclopédia dos radialistas

Hoje, por meio de uma postagem do jornalista Rubens Manoel Lemos Filho, soube que o pai dele faz parte, como tópico ou verbete, da Enciclopédia do Rádio Esportivo Brasileiro, e por um acaso, nesta mesma tarde, encontrei na internet o comunicado a seguir.

“Uma investigação inédita do Grupo de Pesquisa Rádio e Mídia Sonora da Intercom, que abrange todo o território nacional e traça a trajetória de 231 profissionais que construíram e ainda constroem a história da radiofonia esportiva do nosso país”.

- Grupos de pesquisadores de todos os estados brasileiros – ao todo 121 pessoas – se dedicaram à tarefa de traçar um rico panorama de biografias de radialistas com representação real para a região de origem e, certamente, para o Brasil como um todo.

Relata ainda o site da Editora Insular sobre a obra esgotada: - Assim, percorrendo a nação de norte a sul, esta Enciclopédia do Rádio Esportivo Brasileiro traz histórias de vida que traçam um cenário dos desafios enfrentados, das grandes coberturas, da criação de bordões, das vitórias e derrotas que já fazem parte da memória nacional, unindo os amantes do esporte por meio das transmissões radiofônicas.

O livro, organizado por Nair Prata e Maria Cláudia Santos, tem 360 páginas e foi editado em 2012. Entre os pesquisadores homens e mulheres.

Do Rio Grande do Norte a responsabilidade das informações coube ao jornalista e pesquisador Everaldo Lopes Cardoso, autor de importantes obras da literatura esportiva potiguar, como “Da Bola de Pito ao Apito Final” e, mais recentemente, “100 Anos de Bola Rolando.”


Além de Rubão, o único comentarista, Lopes relacionou os narradores Marco Antonio Antunes (falecido, gaúcho, gremista, que devido o vermelho do Internacional, tornou-se abcdista) e Hélio Câmara de Castro, além dos repórteres Mário Dourado, Souza Silva (estes também falecidos) e Ricardo Silva.

sábado, 5 de agosto de 2017

América/RN perde para a Juazeirense e precisa de milagre na volta

América 0 – 3 Juazeirense
Data: sábado, 5/8
Competição: Série D
Estádio: Adauto Moraes
Cidade: Juazeiro/BA
Árbitro: Emerson de Almeida Ferreira/MG
Gols: Alex Sandro 15/2, Nem 20 e Salatiel 40
América: Fred, Marcos Júnior, Dão, Paulão, Robson, Danilo Silva, Jonathas, Sidney (Richardson), Cascata (Guilherme), Uederson e Tadeu (Jean Silva). Treinador: Leandro Campos

Juazeiro: Tigre, Capone, Emílio, Sílvio, Waguinho, Deca, Júnior Gaúcho, Juninho Tardelli, Nem (Cleber), Salatiel e Alex Sandro (Rayllan). Treinador: Carlos Rabelo

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Senador comete gafe em discurso sobre a violência

O senador paraibano Raimundo Lira (PMDB), em discurso nesta sexta-feira (4), sobre a violência reinante no país, tendo como pano de fundo um assalto numa cidade satélite, que culminou com um comerciante conterrâneo baleado na cabeça e internado em estado de coma no Hospital de Base em Brasília (Distrito Federal), trocou as bolas.

Lira comparou os assaltantes de banco que atuam no interior do Brasil com os antigos cangaceiros, alcunhados de “novo cangaço”, porém citou o presidente Jusscelino Kubitschek de Oliveira (56/60) como o responsável pela eliminação do banditismo nordestino.


Na verdade o cangaceirismo histórico acabou entre 38, primeiro com a morte de Virgolino Ferreira (Lampião), e 40, com a eliminação de Cristino Gomes da Silva Cleto (Corisco, o Diabo Louro), durante o Estado Novo, do gaúcho Getúlio Dorneles Vargas.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

As bizarrices do regime bolivariano da Venezuela

Um ditador de “bigodón” é uma das semelhanças com o alemão Adolf Hitler e com  o russo Josef Stalin. As aparições histriônicas a exemplo do chefete morto, Hugo Chaves. O discurso melodramático ou fanfarrão. Tudo parece esconder uma mente fora da realidade. Porém cruel.

Além disso, os vídeos em que aparece ora saltitante, ora conversando com vacas. Em outro momento apresenta uma arma “secreta” para ser usada contra o povo. Na cidade ou no campo.

Trata-se de uma espécie de um fuzil (?) com base montada numa carrocinha de acento desconfortável. O artilheiro fica de costas para um motoqueiro responsável pelo transporte da geringonça bélica.

Nicolas Maduro é o espelho embaçado de um País arrasado financeiramente, economicamente, socialmente e psicologicamente.

Caracas perdeu as principais ligações aéreas: Gol, LATAM, Aeromexico, United Airlines, Iberia, Caribbean Airlines, Insel Air, Aruba Air, Air Canada, American Alines, Delta, Lufthansa, Avianca, Gol e Air France suspenderam as operações sem data para retorno.

A portuguesa TAP e a American Airlines ainda mantém os vôos internacionais para a Venezuela. É uma espécie de serviço público aos 400 mil emigrantes portugueses no país e que fonte oficial da companhia aérea diz que é para manter.