sexta-feira, 16 de março de 2018

Mídia oficial foi a única a divulgar nome de testemunha ocular


A Agência Brasil, vinculada a estatal Empresa Brasileira de Comunicação, ainda na noite da quarta-feira, dia do duplo assassinato, envolvendo a vereadora carioca Marielle Franco (PSOL) e o motorista Anderson Pedro Gomes, foi à única mídia a anunciar o nome de uma das duas testemunhas dos crimes, Fernanda Chaves, a assessora da política executada.
Outro detalhe não explorado pela mídia nacional é de que, provavelmente, o autor dos disparos estaria no banco traseiro, do lado do motorista, do automóvel usado pelos algozes para a execução do atentado, ao emparelhar com o Agile  branco KVS 6213 RJ da vereadora.
O veículo
O carro da vítima, da General Motors (divisão Chevrolet), foi o primeiro integrante da Família Viva, um hatch compacto lançado em outubro de 2009 no Brasil, modelo do ano seguinte, cujo projeto fora iniciado quatro anos antes, recebendo diversos componentes mecânicos do Celta e do Corsa B 94.
O carro é voltado ao público jovem. O modelo era produzido na fábrica de Rosário, interior da Argentina, com o fim de renovar a linha de compactos e enfrentar o Fox (Volkswagen).
O último Agile deixou a linha de produção em 23 de dezembro de 2016 com 347.054 unidades produzidas. O preço do usado: 27 mil reais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário