quarta-feira, 29 de abril de 2015

Sindicato do Transporte Alternativo diz que prefeito de Natal se esconde por trás do empresariado e afirma que este pratica terrorismo contra a população da capital

O Sindicato dos Proprietários dos Transportes Alternativo de Passageiros do Eestado do Rio Grande do Norte emitiu há pouco uma nota se posicionando sobre o projeto de lei para licitação do setor e o suposto ou provável aumento das passagens para R$ 4,00.

O ofício circular é endereçado para as seguintes autoridades: prefeito de Natal, Carlos Eduardo Nunes Alves; secretária municipal de Transito, Elequicina Maria dos Santos; procurador do Município, Carlos Santa Rosa D'Albuquerque Castim e ao presidente da Câmara dos Vereadores, Franklin Capistrano e todos os Vereadores e Vereadoras de Natal.

O comunicado assinado pelo presidente da entidade sindical, João Pedro dos Santos Neto, classifica de “terrorismo contra a população” declaração do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano como travestido da Federação de Transportes (Fetronorte), como isso fosse uma aberração, pois a segunda entidade sindicalista como a segunda são vinculadas mesmo ao empresariado.

Pontos            

O projeto enviado pelo Poder Executivo ao Legislativo simplesmente oficializa o sistema de transporte atual pelos próximos 30 anos, a não ser no tocante ao transporte alternativo, o projeto reduziria este sistema.

A Câmara melhorou o projeto substancialmente: manteve o percentual de transporte alternativo; aprovou o transporte publico 24 horas; diminuiu a gratuidade de 65 anos para 60 anos; ônibus de piso baixo acessível ao idoso, gestantes, e pessoa com necessidades especiais; ônibus com motor traseiro; proibição da dupla função; sistema de GPS e câmara de segurança.Todos estes itens serão colocados a disposição da população, distribuídos num período de 10 anos.

Quando se calcula o valor da passagem se leva em conta de cinco a sete itens: um deles é a quilometragem rodadas dos ônibus, segundo, o numero de passageiros, só ai a podemos concluir que os estudos são completamente manipulados, pois hoje o poder público não tem estas informações reais e sim as que são fornecidas pelo empresariado.

Nos últimos 18 anos quem andou de transporte alternativo, que chega a um valor em média mensal de 2.300.000,00, a STTU nunca levou em conta este resultado para calcular o valor da passagem, a partir do processo de Bilhetagem Eletrônica Unificada e Licitação dos Transportes, o município irá tomar conta das vendas e toda frota vai ter GPS só a partir dai é que esses dados poderão ser confiáveis. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário