quarta-feira, 15 de julho de 2015

Na contra mão dos gestores o empreendedorismo individual é um dos suportes da economia potiguar

José Vanilson Julião
Jornalista

Produtos alimentícios manufaturados, de origem animal ou vegetal, são a locomotiva que puxa o trem ou comboio da iniciativa privada norte-rio-grandense.
Principalmente dos micro-empresários individuais, sendo esta uma das alternativas para o enfrentamento ao desemprego e a falta de trabalho.
Para se ter uma idéia da importância do setor não é preciso consultar dados oficiais dos três governos: municipal, estadual e federal.
Basta verificar as gôndolas e prateleiras dos grandes supermercados, lojas de conveniências, mercearias, padarias e pequenos estabelecimentos comerciais espalhados nos bairros mais afastados do centro.
As ofertas de comidas populares e regionais fazem parte da mistura que pode ser posta na mesma da classe média baixa ou dos mais pobres, no cotidiano do café da manhã ou no jantar, costumeiramente a última refeição do dia.
Numa panificadora da Avenida São Miguel dos Caribes, no Conjunto Jiqui, no bairro de Neópolis (Zona Sul), pode-se comprar o pastelzinho de carne, com dados de fabricação (data limite de consumo e ingredientes), mas não especifica de onde vem.
A goma de mandioca, para a feitura caseira da tapioca, vem do Sítio de Dentro, zona rural do município de Lagoa Nova, na Região do Seridó, no interior do Rio Grande do Norte.
A tapioca (dos tipos molhada ou seca) e o grude, da comunidade ‘Vale do Sol’, periferia da cidade de Parnamirim, na região metropolitana da capital potiguar ou Grande Natal.
O Cuscuz de milho vem do bairro de Felipe Camarão, precisamente da Zona Oeste, uma das quatro divisões administrativas de Natal.
A manteiga do sertão seridoense. E o queijo artesanal (De coalho ou manteiga). E o soro para fazer a coalhada ou a mesma prontinha. Para consumo rápido. De Caicó. Outra cidade qualquer.
Em um mercadinho da mesma avenida, o ‘Sabor do Sertão’, também se nota a variedade de produtos de origem sertaneja, principais coadjuvantes das marcas mais famosas e produtos industrializados das regiões mais ricas ou estados mais fortes na economia.
Ainda no mesmo logradouro, somente para exemplo de atividade diversa, o natalense pode encomendar o alto-falante ou caixa de som para seu carro, comércio ou igreja. Com Júnior.




Nenhum comentário:

Postar um comentário