segunda-feira, 17 de junho de 2019

Greve põe na berlinda a autoridade da governadora Fátima Bezerra


Informação de bastidor indica que a greve iniciada nesta segunda-feira conta com a participação ou apoio de oficiais da Polícia Militar.

A situação demonstra que  o comandante geral não está controlando seus subordinados diretos (oficiais subalternos), inclusive comandantes de companhias e outras unidades policiais aderiram à paralisação, entre eles o tenente-coronel chefe da Assessoria Administrativa da PM.

A AAD é o setor responsável por instaurar os procedimentos para apurar possíveis faltas (infrações disciplinares) cometidas pelos PMs.

O que é uma contradição, pois a paralisação dos serviços da PM é ilegal, passível de punição.

Porém, se o chefe do setor responsável, inicialmente, para averiguar a conduta dos PMs, está cometendo ato irregular (em tese), como ele terá   moral para investigar àqueles que cometem a mesma irregularidade que ele comete?

Há um informe, não oficial, de que o comandante geral pôs o cargo à disposição da governadora Maria de Fátima Bezerra.

sábado, 15 de junho de 2019

Policiais militares são carcereiros ou cães de guardas de presos provisórios ou com penas a cumprir


Não se tem a informação sobre o aval do sistema da Justiça em especial da Vara de Execuções Penais, que, como o nome diz, formaliza legalmente entrada e saídas com autorização, ou da administração penitenciária, que, supostamente, estão mandando presos para cumprirem penas, ou outras medidas, como prisão preventiva.

Anteriormente, quando um político, empresário, ou alguém de destaque social, como também e até mesmo policiais militares condenados cumpriam penas nas unidades da PM.

Só que, agora, alguns presos "comuns" estão sendo enviados, para o local inadequado, que onde trabalham soldados e oficiais.

Inclusive, onde há reserva de armamento, equipamentos, munições, estejam sendo abrigadas (sim por que lá não têm celas) pessoas estranhas a caserna.

O pessoal da Academia, também conhecida como Centro de Estudos Superiores, não está gostando de servir como carcereiros ou cães de guarda.


Governo petista transforma quartel e academia da PM em presídios


O Quartel do Comando-Geral da PM/RN e Academia da Polícia Militar estão sendo, agora, servindo como presídios pelo governo Fátima Bezerra.

Relatos de policiais militares que trabalham naquelas duas edificações da Polícia Militar denunciam que há, nas dependências, cumprindo pena ou outras medidas judiciais, presos que deveriam estar no sistema prisional.

Não se sabe dos presos custodiados pelo Estado estarem sendo enviados para aquelas unidades militares e por que elas estão funcionando como presídios, além das suas funções originais, todavia é sabido que elas não detém estrutura física adequada, nem  efetivo para isso.

A Academia da Polícia Militar é o Centro de Estudos Superiores, responsável pela formação dos oficiais e cursos inerentes a carreira policial militar.

Já o Quartel do Comando Geral, que se quer possui um alojamento adequado para tropa, abriga várias sessões de serviços internos, administrativos, burocráticos, além do serviço de guarda.

Para se ter uma idéia da situação a Polícia Civil do RN não aceita que presos permaneçam em delegacias, então por que as unidades policiais militares aqui referidas estão abrigando presos, sem nenhuma estrutura?

Seria uma forma de disfarçar a superlotação em presídios e centros de detenção?

Por que alguns presos teriam esses privilégios e outros não? Há informação que um advogado do PCC é um dos presos na Academia da Polícia Militar do RN.


domingo, 9 de junho de 2019

A trajetória do artilheiro Alemão no futebol alagoano (I)

ESQUADRÃO AMERICANO CAMPEÃO EM 1969 COM ALEMÃO EM PENÚLTIMO NO ATAQUE VERMELHO

Atacante pernambucano fez gol no último minuto contra o ABC, na terceira partida, e provoca quarto jogo que decide o Estadual de 1969 para o América
Oito clubes participam do campeonato alagoano de 1968. De Maceió: Clube de Regatas Brasil, Centro Sportivo Alagoano e Ferroviário. Além do Guarany de Poços, no entorno.
Do interior: Associação Sportiva Arapiraquense, Centro Sportivo Estanciano/CSE (Estância), Capelense (Capela) e Penedense, da cidade histórica Penedo.
A competição começa em 7/4 (domingo) com três turnos. Campeões: o alvirrubro CRB (turno), o alvinegro ASA/Arapiraca (returno) e o azul e branco CSA (terceiro).
O Galo da Pajuçara – alusão ao bairro praia em que se localiza o desativado estádio Severino Gomes Filho, do clube “regateano”, na estréia recebe o Capelense (1 a 1).
Joaquim Ramos de Souza, o “Alemão”, foco de reportagem exclusiva em 15 de maio, estréia na quinta exibição, substituindo Roberto. No “Coaracy da Mata Fonseca”, em Arapiraca (domingo, 26/5), perde (3 x 0).
No jogo seguinte é titular. No domingo (9/6) o alvirrubro vence o “Ceesseá” (2 x 1). A pesquisa não localiza a escalação de CRB 1 x 0 Ferroviário (quarta-feira, 12/6).
E entra na decisão do turno (domingo, 16/6) contra o Capelense (1 a 0). Jogo anulado. Na quarta-feira, 19, nova vitória: 2 a 0. No returno são mais seis participações do CRB.
Na segunda vitória no clássico da capital – “Cerrebê” 3 x 2 CSA – mais uma participação, no lugar de Zequinha.
No terceiro turno entra na derrota perante o ASA (1 a 2) no domingo, 20/10. A pesquisa passa em branco outras duas partidas.
Na seguinte está com a camisola vermelha e branca. Na primeira derrota para o CSA (1 x 0) na quinta-feira, 23 de janeiro do no ano seguinte.
Ele encerra a participação com dois gols em todo o campeonato para ficar na história do futebol do RN.
O “super campeonato”, ganho pelo CSA, se estende até a primeira semana de fevereiro.
Alemão não consta na segunda partida do CRB, o vice. Assinara com o alvirrubro potiguar. No próximo relato o começo em 1967.
Fontes:
Blog do Sorrentino
Futebol Nacional
Resgate do Futebol Alagoano

domingo, 2 de junho de 2019

Americanos ficam no empate pela Série D

América 0 – 0 América
Data: domingo, 2/6
Competição: Série D
Estádio: Ademir Cunha
Cidade: Paulista/PE
Árbitro: Rafael Carlos Salgueiro Lima/AL
América: Ewerton, Joazi, Adriano Alves, Alisson Brand, Kaike, Moreilandia, Adenilson, Maikel (Franco), Jean Patric (Hilton), Adriano Pardal (Roger Gaúcho) e Max. Treinador: Moacir Júnior
América: Renan, Popila, Otávio Andrietta, Richard, Weslley, Celestino, Breno, Jefferson (Willian Gaúcho), Neto, Davi e Yuri Martins (Matheus Sacramento). Treinador: Levi Marcelino Gomes

quinta-feira, 30 de maio de 2019

Repercute encontro de ex-goleiro do Alecrim e América com boleiros


O encontro do blogueiro e escritor catarinense Valdir Appel, com ex-companheiros, dirigentes e a imprensa, realizado na noite da terça-feira (28/5), na sede do América Futebol Clube, tem repercussão na rede social.

A reunião no Temis Bar – do empresário Temístocles Amador e organizada com o apoio do diretor social americano, Hélio Santa Rosa – contou divulgação do memorialista José Ribamar Cavalcante.

Estiveram presentes, além dos anunciados anteriormente, os treinadores aposentados Ferdinando José de Araújo Teixeira, o ex-presidente Fernando (filho do falecido presidente Humberto Nesi), o professor Normando Bezerra – um dos fundadores da torcida organizada FERA (Fiéis Esmeraldinos Radicais) e o conselheiro americano e empresário Augusto Maranhão.


terça-feira, 28 de maio de 2019

Corregedoria da PM interrompe atividade desde o começo do governo petista


Desde janeiro que a Corregedoria Auxiliar da Polícia Militar, subordinada a Corregedoria Geral da Secretaria de Segurança, está com suas atividades paralisadas, sem previsão de retorno e tudo indica que será extinta.

Todos policiais militares da Corregedoria da Polícia Militar foram movimentados para outros setores da PM, o que inviabilizou as apurações das denúncias, oriundas em sua maioria de reclamações feitas por populares.

O mais grave é que o corregedor geral da SESED, diante da situação, não tem autoridade para determinar qualquer instauração de procedimentos envolvendo policiais militares. Pois isso a Corregedoria da Polícia Militar está inoperante.

O secretário de Segurança Pública e o comandante geral da corporação determinaram que os procedimentos, que eram apurados pela Corregedoria da PM e que tinham que passar pela análise do corregedor geral, seja apurado pela assessoria administrativa da PM, porém não é atribuição desse setor instaurar procedimentos, tampouco proceder com averiguações de policiais militares.

Ocorre que diante da inércia as apurações estão paralisadas, violando o princípio da continuidade na administração pública e prejudicando a população de modo geral.