domingo, 22 de fevereiro de 2015

Memória visual ou fotográfica

Não me considero um perfeccionista ou detalhista ao extremo, porém posso afirmar que tenho uma memória razoável e uma facilidade para identificar personalidades ou personagens diversos, ou associar palavras e frases a temas diversos, em áreas variadas da atividade humana, principalmente quando se tratam de futebol, cinema, política, história e geografia.
Certamente que a memorização (back-ground e feed-back) foi construída ao longo do tempo, em essencial a partir da infância, pré-adolescência e começo da adolescência em Cerro Corá (RN), por meio de leituras da REVISTA DO ESPORTE, que circulou entre 1959 e 1969, da revista PLACAR (surgida em março de 1970), além de livros de história geral e enciclopédias, como a série CONHECER, mais as revistas semanais O CRUZEIRO, MANCHETE e FATOS & FOTOS. E romances.
Foi o que aconteceu ao visitar pela primeira vez o blog ‘Mundo Botafogo’, de responsabilidade do português Rui Moura, um torcedor do alviverde Sporting de Lisboa (a capital lusitana), um dos três clubes grandes de Portugal – ao lado do também lisboeta Benfica (encarnado) e do azul e branco Porto -, e que viveu parte da vida, desde o começo da década de 60, no Rio de Janeiro. 
O blog contém (a seguir a ilustração de abertura) 19 fotografias de jogadores botafoguenses, considerados os maiores ídolos do clube alvinegro da Estrela Solitária. Identifiquei todos.
Nilo Murtinho Braga, campeão pelo América de Natal em 1919, ficou famoso como artilheiro do Botafogo e do Fluminense, além de participar da Copa do Mundo de 1930 (Uruguai). Carvalho Leite, depois médico do clube, ídolo do tetracampeonato (32/33/34/35). Heleno de Freitas, o maior artilheiro em um campeonato carioca (28 gols). Nilton dos Santos, A Enciclopédia, campeão em 48. Manoel dos Santos (Garrincha), o maior de todos. Didi (Valdir Pereira), o alagoano Mário Jorge Lobo Zagalo, o paraense Quarentinha (Valdir Cardoso Lebrego), o goleiro pernambucano Manga (Ailton Correa Arruda), Amarildo Tavares (“O Possesso”), Jair Ventura Filho (Jairzinho), Gerson de Oliveira Nunes, Roberto Miranda, Paulo César Lima (‘Caju’), o potiguar Francisco Marinho Chagas, Túlio Humberto (‘Maravilha’) e Mendonça. Os dois únicos estrangeiros da lista são o atacante uruguaio Loco Abreu e o holandês Clarence Seedorf, nascido numa das guianas, na America do Sul.
Da mesma forma procedi com a capa do livro do não politicamente correto, enviada por correspondência eletrônica. O imperador francês Napoleão Bonaparte, o presidente norte-americano ou estadunidense Franklin Delano Roosevelt, o ditador russo Josef Stalin, o primeiro-ministro inglês Winston Churchil, o ditador chinês Mao Tse-Tung, a rainha inglesa Vitória, e a religiosa madre Teresa de Calcutá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário