sexta-feira, 13 de março de 2015

Os famosos 'chicletes' do futebol profissional nos estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e até no exterior

Andei lendo nos blogues dos radialistas Ricardo Silva (Globo) e Francisco Inácio (Nordeste FM/98) que o jovem atleta vindo da base do ABC, Janderson, não quer ser chamado pelo apelido de ‘Chiclete’. 
Bem que ele poderia não se incomodar, pois há alcunhas piores. Basta acrescentar uma letrinha, a “s”, e o vulgo se tornaria mais paulatável e comestível aos ouvidos dos narradores, comentaristas, repórteres e torcedores.
Enquanto Ricardo Silva diz que tanto “Chiclete” como Janderson não ajuda no marketing (comercialização) do futebol atualmente, eu diria que a dica acima causaria o contrario. Basta o garoto começar a explicar a origem do apelido, com pitadas de graça. 
Mas que não diga que veio de São Gonçalo do Amarante, na região metropolitana ou Grande Natal, como “Beleu”! Afinal, qual o nome completo dele? Daí poderia sair o nome de guerra...
Pois existem apelidos um pouco mais estranhos, como o de Flavio Recife, que andou pelo America de Natal e Santa Cruz de Pernambuco, e não consegue se livrar do “Caça-Rato”, depois de ser recebido por uma multidão de torcedores do Clube do Remo, de Belém, capital paraense (Blog do Justino Neto/Esporte na Rede).
Bom avisar ao Janderson que o futebol paraibano deu ao mundo dois “Clicletes”. Jose Morais, natural do município de Esperança, e revelado pelo Auto Esporte da capital, e pelo Treze de Campina Grande, foi artilheiro da Taça Brasil de 1967, com nove gols (outra fonte aponta seis gols).
Ainda atuou pelo Campinense, Sport Recife, Portuguesa de Desportos e Fluminense. Em Portugal passagens pelo Vitória (de Guimarães), mais o alviverde Sporting, um dos três grandes da capital lisboeta, ao lado do Benfica e Belenenses. Mais o Besiktas (Turquia) e um desconhecido time frances, encerrando a carreira no Canadá.
Formou-se em Direito. Foi superintende do Estadio Ernani Sátiro, o “Amigão”, em Campina Grande.
O outro, segundo o site “Agora Esporte”, da Paraíba, chama-se Everaldo Morais (Chicletes), provavelmente parente do primeiro, revelado pelo Estrela do Mar de João Pessoa, atuou no futebol cearense.
O “Chiclete” potiguar foi um dos destaques na recente Copa São Paulo de Futebol Junior, atesta o diretor Fred Menezes.
Mais ainda neste primeiro turno do Estadual os narradores titubeiam na preferência por chamá-lo pelo nome de batismo ou pelo apelido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário